Perguntas e Respostas

Todos os sintomas do climatério são normais?

O climatério é a fase na vida da mulher que se caracteriza pela deficiência do hormônio estrogênio, o que produz sintomas como fogachos/calores, suores, dores de cabeça, nervosismo, insônia, perda do desejo sexual, ressecamento da pele, perda da massa óssea. Com um tratamento adequado, você poderá eliminar esses sintomas, caso surjam, mas também poderá impedir a perda de massa óssea e evitar a osteoporose.

Já que esses sintomas passam rápido, não é preciso fazer tratamento.

Talvez os sintomas que você sente passem rápido porém não se esqueça da perda de massa óssea avançada que pode se converter em osteoporose, que é uma afecção grave. Por isso, é aconselhável começar um tratamento o mais breve possível com reposição hormonal adequada.

Prefiro vitaminas e cálcio aos hormônios.

As vitaminas são boas e melhor ainda é o cálcio para aumentar sua massa óssea, entretanto, os sintomas desagradáveis não serão eliminados e o déficit de estrogênio não será compensado. O melhor é um tratamento hormonal e, se assim desejar, tome vitaminas e cálcio.

Os comprimidos me fazem mal.

Pode ser que a forma oral não lhe caia bem ou lhe desagrade, por isso existem outros tipos de tratamento, como adesivos e injetáveis.

Não tenho mais ciclo menstrual e não sinto nada.

É possível, já que a metade das mulheres passam para a pós-menopausa sem nenhum sintoma. Porém, se você já não tem ciclos menstruais, você já não produz estrogênio em quantidade suficiente e isso causará perda de massa óssea que se agrava com o tempo até converter-se em osteoporose. Consulte seu médico para saber como você pode prevenir esta doença.

Os hormônios causam câncer?

O tratamento de reposição hormonal combinado (estrogênio mais progestógeno) evitará o risco de câncer do endométrio (revestimento interior do útero).

A associação entre o câncer de mama e a TRH foi investigada em mais de 50 estudos: os resultados desses estudos não foram conclusivos, porém quando são analisados todos de forma conjunta (meta-análise) o aumento do risco é muito pequeno e não parece ser significativo.

Deve-se levar em conta que se você está fazendo o tratamento de reposição hormonal, deverá consultar seu médico com maior freqüência e esse tipo de câncer pode ser rapidamente detectado pelo médico, diferente do que ocorre com as mulheres que não consultam periodicamente um médico. Além disso, você pode fazer exame de mamas constantemente (auto-exame das mamas).

Posso ficar grávida no climatério?

As possibilidades de uma gravidez na pré e perimenopausa (antes da ausência do sangramento menstrual) são pequenas, entretanto pode ocorrer uma gravidez sobretudo se você está no começo da pré-menopausa, ao redor dos 40 anos. Recomenda-se o uso de um anticoncepcional durante alguns anos (até os 45 anos) e depois a terapia de reposição hormonal.

Se você estiver na pós-menopausa (quando não há sangramento menstrual) as possibilidades de engravidar são muito remotas.

Eu uso adesivos e eles não aderem bem

Isso pode ocorrer quando a pele está úmida, com creme hidratante, filtro solar ou se você usa sabonetes cremosos. Neste caso, recomendamos que você limpe e seque bem o lugar onde será aplicado o adesivo.

Com a TRH eu posso ter relações sexuais melhores?

Sim, já que o estrogênio impede o ressecamento vaginal, que é um dos fatores que contribuem para uma relação sexual desagradável.

Quanto tempo deve durar o tratamento com terapia de reposição hormonal (TRH)?

Embora saiba-se que, para usufruir todos os benefícios da terapia de reposição hormonal, principalmente no tocante a proteção cardiovascular e osteoporose, é aconselhável que dure alguns anos. Até o presente momento ainda não existe consenso a esse respeito. Você deverá conversar com seu médico que, conhecendo-a e acompanhando-a em consultas regulares, poderá julgar mais apropriadamente como proceder a esse respeito.

A cada quanto tempo devo consultar-me com o médico?

Recomenda-se consultas médicas a cada 6 meses ou um ano.

Vou engordar com a terapia de estrogênios?

Deve-se levar em conta que seu organismo está mudando e na etapa do climatério há normalmente uma tendência ao aumento de peso sem qualquer tratamento. Os produtos modernos não influenciam o peso em 80% das mulheres.

Qual é a melhor idade para começar o uso de terapia de reposição hormonal?

Isso dependerá da avaliação de cada caso pelo médico. Assim, após exame detalhado e considerando todos os aspectos envolvidos, ele poderá decidir se você deve receber tratamento de reposição hormonal e quando iniciá-lo.

A terapia com estrogênios evita fraturas?

Sim, já que com a terapia de reposição hormonal você não perde tanta massa óssea, mantendo os ossos mais fortes e com menos possibilidade de fraturas.

Os estrogênios agem sobre o colesterol?

Sim, reduzem o colesterol mau, o LDL - C, e aumentam o bom, HDL-C. Isso protege contra um ataque cardíaco ou apoplexia.

Vai haver alterações no meu corpo durante o climatério?

Sim, e a causa principal é a baixa produção de estrogênio. São elas: aumento de peso, pele mais fina e ressecada, aumento de pêlos no rosto, vagina ressecada, perda de estatura.

Todas as mulheres podem ter osteoporose?

Sim, todas sem exceção. Entretanto as que correm maior risco são as de raça branca, amarela, de compleição magra, fumantes que não praticam exercícios, que ingerem álcool e/ou que têm uma dieta pobre em cálcio.

Todas as mulheres terão climatério?

Sim, já que a partir dos 40 anos todas começam a produzir menos estrogênio. Algumas terão antes que outras ou terão mais acentuado o quadro de problemas e distúrbios, porém todas chegarão à menopausa (última menstruação).

Qualquer um pode receber terapia de reposição hormonal (TRH)?

Embora a TRH apresente numerosos benefícios à saúde, ela não está indicada para qualquer um. Por exemplo, o estrogênio não deve ser utilizado por mulheres que estejam grávidas ou que apresentem-se com suspeita de gravidez. Mulheres que tenham antecedentes familiares ou pessoais de câncer de mama ou de nódulos mamários, doença fibrocística ou mamografias com anormalidades devem discutir esses problemas com seus médicos antes de iniciarem o tratamento. De modo semelhante, mulheres portadoras de câncer de endométrio, sangramentos vaginais de origem desconhecida, doenças cardíacas ou alterações dos vasos sangüíneos também devem informar seus médicos a respeito desses problemas.

Ficarei nervosa enquanto estiver utilizando terapia de reposição hormonal (TRH)?

Um dos sintomas que podem instalar-se em conseqüência da menopausa é o nervosismo; dessa forma, se seu nervosismo estiver relacionado ao hipoestrogenismo, ele pode ser eliminado/atenuado com a TRH. Isso pode ser explicado de diversas maneiras, mas talvez a mais facilmente inteligível é que, em função do aparecimento de diversos sintomas desagradáveis como as ondas de calor, insônia, etc., a mulher climatérica acaba por sentir-se irritada. Com a remissão/alívio desses sintomas, seu nervosismo tenderá, evidentemente, a diminuir.

A terapia de reposição hormonal (TRH) leva ao crescimento de pêlos?

Após a menopausa, há uma tendência a diminuição da quantidade de pelos, que se tornam mais rarefeitos. Esses efeitos tornam-se mais visíveis na região axilar e pubiana; por outro lado, isso também ocorre com os cabelos, podendo haver variações, de acordo com a sensibilidade de cada paciente; entretanto, de modo geral, eles se tornam mais quebradiços e perdem o brilho.

Existe ainda a possibilidade do crescimento de pelos na face, ou ao redor das mamas. Esses efeitos ocorrem devido a diminuição dos níveis circulares dos hormônios sexuais femininos no sangue, com aumento relativo dos hormônios masculinos que passam, então, a exercer seus efeitos.

O uso de TRH com hormônios exclusivamente femininos, geralmente tende a reverter este quadro, pois ao restabelecer seus níveis circulares, dificulta a ação dos hormônios masculinos.

Menopausa

Mais informações sobre este tópico:

L.BR.WH.2012-07-23.0828


Ferramentas
.

http://www.bayerpharma.com.br/pt/areas-terapeuticas/saude-de-a-a-z/reposicao-hormonal/menopausa/perguntas-respostas/index.php

Copyright © Bayer Pharma AG