Comparativos de Métodos Contraceptivos

A possibilidade de ocorrer gravidez em mulher sexualmente ativa, durante um ano, gira em torno de 85% quando ela (ou seu parceiro) não utiliza nenhum método contraceptivo. No mundo inteiro, mais de um quarto das mulheres que ficam grávidas têm aborto ou gravidez não planejada. O uso de contracepção ou controle da natalidade pode reduzir significativamente suas probabilidades de engravidar não intencionalmente.

A escolha do método de controle da natalidade adequado para você é uma decisão pessoal, que deve ser baseada em informações concretas. Cada um de nós é um indivíduo e tem necessidades específicas, de modo que podemos preferir um determinado método contraceptivo em vez de outro – dependendo da nossa saúde e das nossas necessidades sexuais, morais ou reprodutivas.

A contracepção é importante pois permite o exercício da sexualidade, porém prevenindo a gravidez não planejada. Existem diversos métodos contraceptivos. O mais adequado é aquele a que o casal se adapte e não somente a mulher, uma vez que a maioria dos métodos recai sobre a mulher.

Os preservativos devem ser sempre utilizados para proteção contra Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs). Diferentes métodos são apropriados para diferentes pessoas, de modo que é uma boa ideia examinar as diversas opções e descobrir a eficácia, vantagens e desvantagens de cada um deles, antes de tomar uma decisão. Há grande quantidade de informações sobre a contracepção, a absorver, mas em vista das diversas opções disponíveis certamente haverá um método de controle de natalidade a longo prazo, que seja apropriado para o uso por aquele casal.

Os anticoncepcionais se dividem em duas categorias principais

  • Métodos de barreira, destinados a dificultar que os espermatozoides fecundem o óvulo;
  • Métodos hormonais, que alteram temporariamente o modo de funcionamento do sistema reprodutivo.

Existem métodos menos sofisticados para prevenir a gravidez, por exemplo, o método da retirada (coito interrompido), mas eles oferecem risco muito maior de falha, bem como dificuldade de adaptação pelo casal.

Note que as informações sobre a eficácia dos métodos anticoncepcionais pressupõem que o método seja aplicado de acordo com as instruções da bula do produto, sem deixar de lado a orientação recebida em consulta médica.

Qual o método contraceptivo ideal para você?



Contracepção de emergência

É método contraceptivo de exceção e o seu uso habitual pode trazer sérios riscos à saúde.

Vantagens

  • Boa eficácia;
  • Boa aceitabilidade.

Desvantagens e precauções

  • Não protege contra doenças sexualmente transmissíveis como a AIDS;
  • Efeitos colaterais pronunciados como náuseas e cefaleia;
  • Possibilidade de sangramentos intermenstruais;
  • Relações sexuais desprotegidas devem ser interrompidas até se optar por método prolongado.

Usuária Ideal

  • Mulheres que não desejam gravidez após sexo eventual e não programado e desprotegido.

Bem-estar e utilização

  • Tem que ser utilizada até no máximo 72 horas após relação sexual desprotegida;
  • A eficácia é tanto maior quanto mais precoce é Explicação deve ser realizada em centro de controle de planejamento familiar ou pelo médico.

Porcentagem de falha*

  • 2 a 3%

* Índice de falha relatado pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, Organização mundial de saúde e Ministério da Saúde

Diafragma com espermaticida

É inserido na vagina antes da relação sexual e bloqueia a entrada do sêmen no útero.

Vantagens
  • Sem riscos para a saúde;
  • Pode proteger contra doenças sexualmente transmissíveis;
  • Menor risco de câncer do colo uterino;
  • Não interfere na lactação;
  • Quando usado corretamente, pode ser reutilizado.
Desvantagens e precauções
  • Ocasionalmente, pode causar irritações ou reações alérgicas (pelo látex ou espermaticida);
  • Exige treinamento para colocação e retirada;
  • Pode sair do lugar durante a relação sexual;
  • Após gestações, pode ser necessário a troca do diafragma para outro de maior tamanho.
Usuária Ideal
  • Mulheres com conhecimentos de seus órgãos genitais e sem medo de inseri-lo.
Bem-estar e utilização
  • Deve ser inserido antes da relação sexual;
  • O médico deve medir o colo para indicar o melhor tamanho;
  • Necessidade de colocação e manipulação correta;
  • Indicado para mulheres organizadas e com parceiros fixos;
  • Deve permanecer no interior da vagina por 6 horas após a relação.
Porcentagem de falha*
  • 6 a 20%

* Índice de falha relatado pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, Organização mundial de saúde e Ministério da Saúde

Dispositivo Intra-Uterino (DIU)

Método contraceptivo de ação local, produz ambiente hostil no útero aos espermatozoides e evita a implantação (mecanismo não completamente esclarecido).

Vantagens
  • Método altamente eficaz e reversível;
  • Eficácia não sofre interferência da usuária (não requer lembrança diária de uso como as pílulas);
  • Deve ser trocado apenas a cada 3-5 anos;
  • Facilidade na inserção e retirada;
  • Não interfere com a lactação.
Desvantagens e precauções
  • Pode ocorrer expulsão em casos isolados;
  • Maior risco de infecção pélvica;
  • Pode aumentar o sangramento e dor menstrual;
  • Maior risco de gravidez ectópica;
  • Não protege contra doenças sexualmente transmissíveis como a AIDS.
Usuária Ideal
  • Mulheres com parceiro fixo, não expostas a doenças sexualmente transmissíveis;
  • Contra-indicado para mulheres que têm múltiplos parceiros.
Bem-estar e utilização
  • Deve ser colocado por médico ou profissional capacitado;
  • Deve ser substituído a cada 3-5 anos;
  • Deve ser verificado periodicamente se está na posição correta.
Porcentagem de falha*
  • 0,5 a 1%

* Índice de falha relatado pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, Organização mundial de saúde e Ministério da Saúde

Endoceptivo (Sistema Intra Uterino)

Contracepção hormonal endógena, que combina as vantagens dos contraceptivos somente com progestógenos e dos dispositivos intra-uterinos - Libera pequenas quantidades de hormônio dentro do útero que aumentam a viscosidade do muco cervical e inibem o crescimento do endométrio.

Vantagens
  • Método altamente eficaz e reversível;
  • Libera o hormônio diretamente no útero, praticamente não interferindo no restante do organismo;
  • Efeito contraceptivo prolongado (5 anos);
  • Sangramento menstrual menos intenso, mais curto e menos doloroso, e em alguns casos, até ausente;
  • Facilidade na inserção e retirada;
  • Não interfere durante a relação sexual;
  • Pode ser usado no período pós-parto, pós-aborto e na fase de amamentação;
  • Eficácia não sofre interferência da usuária (não requer lembrança diária de uso como as pílulas).
Desvantagens e precauções
  • Pode ocorrer expulsão em casos isolados;
  • Sangramento irregular de pouca quantidade durante os primeiros meses de uso;
  • Não protege contra doenças sexualmente transmissíveis como AIDS.
Usuária Ideal
  • Pode ser inserido em qualquer mulher em idade reprodutiva, sendo recomendado para mulheres com filhos e que requerem contracepção a longo prazo.
Bem-estar e utilização
  • Deve ser indicado e inserido por profissional ou médico adequadamente treinado;
  • Necessidade de supervisão médica a intervalos regulares.
Porcentagem de falha*
  • 0 a 0,2% em 5 anos

* Índice de falha relatado pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, Organização mundial de saúde e Ministério da Saúde

Esterilização Feminina

Laqueadura/Ligadura das trompas.

As Trompas de Falópio são ligadas ou cauterizadas para evitar a passagem do ovo para o útero.

Vantagens
  • Método eficaz;
  • Procedimento de realização relativamente simples, geralmente sem complicações;
  • Não existe alteração do ciclo menstrual;
  • Sem efeitos secundários desagradáveis.
Desvantagens e precauções
  • Raramente, podem ocorrer riscos operatórios durante a cirurgia ou anestesia;
  • Irreversível na maioria dos casos.
Usuária Ideal
  • Mulheres que não desejam mais ter filhos;
  • Contra-indicado em mulheres que não estejam completamente seguras do desejo de não ter mais filhos.
Bem-estar e utilização
  • Necessidade de cirurgia, realizada por médico capacitado;
  • Recuperação em poucos dias.
Porcentagem de falha*
  • 0,1 a 0,5%

* Índice de falha relatado pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, Organização mundial de saúde e Ministério da Saúde

Esterilização Masculina

Vasectomia

Os dutos que conduzem o esperma são seccionados para evitar sua passagem dos testículos para o pênis.

Vantagens
  • Método altamente eficaz;
  • Procedimento de realização fácil e rápida;
  • Menor risco que a esterilização feminina.
Desvantagens e precauções
  • Dor pós-operatória moderada;
  • Pequeno risco de infecção;
  • Geralmente irreversível;
  • Pode ocasionar no homem o medo de tornar-se impotente.
Usuária Ideal
  • Homens que não desejam mais ter filhos;
  • Contra-indicado em homens ansiosos em relação a sua potência ou virilidade.
Bem-estar e utilização
  • Necessidade de pequena cirurgia ambulatorial com anestesia local, realizada por médico capacitado.
Porcentagem de falha*
  • 0,1 a 0,15%

* Índice de falha relatado pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, Organização mundial de saúde e Ministério da Saúde

Implantes

Contracepção hormonal (através de cápsula inserida embaixo da pele da face interna do braço) que combina as vantagens dos contraceptivos somente com progestógenos e dos dispositivos intra-uterinos - Inibe a ovulação.

Vantagens
  • Método altamente eficaz por até 3 anos e reversível;
  • A maioria das usuárias possuem menstruação com menor sangramento e dor;
  • Não interfere na lactação;
  • Eficácia não sofre interferência da usuária (não requer lembrança diária de uso como as pílulas).
Desvantagens e precauções
  • Irregularidades menstruais frequentes, principalmente durante o primeiro ano;
  • Possíveis efeitos secundários desagradáveis como: cefaleia, aumento de peso, dor no braço e acne (pode diminuir com o tempo);
  • Maior risco de gravidez ectópica;
  • Podem ser observados através da pele;
  • Não protegem contra doenças sexualmente transmissíveis como a AIDS.
Usuária Ideal
  • Mulheres que desejam método contraceptivo a longo prazo;
  • Contra-indicado em mulheres com patologias hepáticas, venosas, história de coágulos sanguíneos (trombose) e câncer de mama.
Bem-estar e utilização
  • Necessidade de pequena cirurgia com anestesia local para inserção e remoção do implante por profissional capacitado.
Porcentagem de falha*
  • 0 a 1,1% em 3 anos

* Índice de falha relatado pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, Organização mundial de saúde e Ministério da Saúde

Injetáveis mensais e trimestrais

Contraceptivo hormonal injetável - Inibe a ovulação.

Vantagens
  • Método altamente eficaz e reversível· Eficácia não sofre interferência da usuária (não requer lembrança diária de uso como as pílulas);
  • Menstruações regulares (nos injetáveis mensais).
Desvantagens e precauções
  • Dor local durante a aplicação;
  • Algumas usuárias podem ter: náuseas, dor de cabeça e aumento de peso;
  • Sangramentos vaginais irregulares podem ocorrer nos injetáveis trimestrais;
  • Não protege contra infecções sexualmente transmissíveis como AIDS;
  • O retorno da fertilidade não é imediato (nos injetáveis trimestrais).
Usuária Ideal
  • Mulheres em idade reprodutiva, não fumantes, que desejam proteção prolongada discreta e cômoda.
Bem-estar e utilização
  • Aplicação intramuscular mensal ou trimestral por profissionais capacitados;
  • Aplicação única oferece proteção contraceptiva por 1 mês (injetável mensal) ou 3 meses (injetável trimestral).
Porcentagem de falha*
  • 0 a 0,3%

* Índice de falha relatado pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, Organização mundial de saúde e Ministério da Saúde

Métodos Naturais

Ritmo e Temperatura

Abstinência de relações sexuais durante o período fértil da mulher (é necessário medir a temperatura e verificar o muco vaginal para determinar os dias férteis para abstinência).

Vantagens
  • Apoiado por várias religiões;
  • Educa a mulher sobre alguns detalhes da fertilidade;
  • Não utilização de produtos ou elementos estranhos ao corpo;
  • Também pode ser utilizado para programar uma gravidez.
Desvantagens e precauções
  • Pouco eficaz em mulheres com ciclos menstruais irregulares;
  • Requer monitoração contínua;
  • Altera a vida sexual natural;
  • Requer abstinência de mais de uma semana por mês;
  • Falha se não houver controle rigoroso.
Usuária Ideal
  • Mulheres dispostas a monitorar seus ciclos com cuidado e aceitar a abstinência nos dias férteis;
  • Contra-indicada em mulheres com ciclos irregulares ou incapazes de realizar controle rigoroso.
Bem-estar e utilização
  • Eficaz apenas em mulheres instruídas e motivadas;
  • Explicação deve ser realizada em centro de controle de planejamento familiar ou pelo médico.
Porcentagem de falha*
  • 1 a 25%

* Índice de falha relatado pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, Organização mundial de saúde e Ministério da Saúde

Pílula

Contraceptivo oral combinado de baixa dosagem - Inibe a ovulação.

Vantagens
  • Método altamente eficaz e reversível;
  • Facilidade de uso;
  • Menstruações regulares, com menor duração e dor;
  • Menor risco de doença inflamatória pélvica e cistos ovarianos;
  • Menor risco de câncer de ovário e do corpo uterino (endométrio);
  • Menor risco de gravidez ectópica.
Desvantagens e precauções
  • Algumas mulheres podem apresentar efeitos colaterais leves: náuseas, dor de cabeça e aumento de peso;
  • Possíveis interações com outros medicamentos (principalmente antibióticos e anti-epilépticos);
  • Se houver esquecimento de drágeas, necessidade de adicionar método de barreira (preservativo);
  • Não protege contra infecções sexualmente transmissíveis como a AIDS;
  • Possível risco de patologias vasculares (principalmente em mulheres acima de 35 anos e fumantes).
Usuária Ideal
  • Mulheres em idade reprodutiva, não fumantes;
  • Contra-indicada para mulheres fumantes com mais de 35 anos, ou portadoras de patologias cardíacas ou hepáticas.
Bem-estar e utilização
  • Facilidade de uso para a maioria das mulheres;
  • Uso diário, independente da prática ou não de relações sexuais;
  • Recomenda-se exames médicos periódicos;
  • Deve ser prescrita sob orientação médica.
Porcentagem de falha*
  • 0,1 a 8%

* Índice de falha relatado pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, Organização mundial de saúde e Ministério da Saúde

Preservativo com espermaticida

Capuz de látex colocado sobre o pênis ereto antes da penetração que impede a entrada de sêmen na vagina.

Vantagens
  • Não existe necessidade de prescrição médica;
  • Ajuda a proteger contra doenças sexualmente transmissíveis;
  • Papel ativo do homem no controle da fertilidade.
Desvantagens e precauções
  • Inibe a relação sexual espontânea;
  • Pode diminuir a sensibilidade durante a relação;
  • Possível reação alérgica ao látex ou ao espermicida;
  • Pode se romper durante o ato sexual.
Usuária Ideal
  • Pessoas em risco de contrair doenças sexualmente transmissíveis.
Bem-estar e utilização
  • Deve ser colocado antes do contato sexual;
  • É aconselhável a associação com espermicida ou lubrificante;
  • Pode ser adquirido em farmácias ou supermercados.
Porcentagem de falha*
  • 2 a 21%

* Índice de falha relatado pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, Organização mundial de saúde e Ministério da Saúde

Métodos Contraceptivos

Mais informações sobre este tópico:

L.BR.WH.2012-07-23.0828


Ferramentas
.
Viva Sua Vida
Gineco

http://www.bayerpharma.com.br/pt/areas-terapeuticas/saude-de-a-a-z/contracepcao/metodos-contraceptivos/comparativos-metodos/index.php

Copyright © Bayer Pharma AG